domingo, 7 de março de 2010

Algumas Regras de Ouro para Pais de Adolescentes

Os pais são espelhos fundamentais na educação dos filhos e responsáveis por lhes proporcionar a segurança emocional que necessitam.


A adolescência pode ser um momento difícil para pais e filhos.... as duas partes envolvidas não devem esquecer que: “Todas as pessoas gostam de saber que são amadas e admiradas, apesar dos defeitos que possam ter!”

Como já referi num post anterior, infelizmente não existem receitas para educar, porque cada filho e cada família são únicos e têm características, também elas, únicas!

Porém, e porque são muitas as solicitações que tenho tido de alguns pais, e inspirando-me um pouco no trabalho da prof.ª Helena Fonseca, deixo-vos hoje com algumas sugestões que na minha opinião são fundamentais para o desenvolvimento de uma adolescência saudável:


1. Escute o seu filho. Esteja sempre disponível para o diálogo. Quando algo corre mal, escute sempre primeiro o que ele tem para dizer, ouça a sua versão, antes de partir para acusações e julgamentos, mesmo que lhe pareça evidente.

2. Seja afectuoso. Não se iniba de lhe demonstrar afecto, desde que não o embarace demasiado junto dos amigos.

3. Envolva-se na vida do seu filho e acompanhe os seus estudos. O seu envolvimento é tão ou mais importante do que na infância. Não há qualquer razão para que não participe activamente na vida do seu filho adolescente. Porém, respeitando sempre as suas escolhas e decisões, alertando eventualmente para os prós e contras de cada decisão, mas sem impor a sua opinião.

4. Procure conhecer os amigos dos seus filhos. Só assim poderá compreender melhor os seus completamentos. Mas não critique nem julgue as suas escolhas. Ensine-o a distinguir o bem do mal e a decidir sempre por ele próprio.

5. Eduque com firmeza. Defina limites e estabeleça regras claras e adequadas.

6. Evite controlar e gerir demasiado. A autonomia é essencial para que o adolescente cresça bem. Dê espaço para que aprenda a ter confiança em si mesmo e a decidir sem lhe pedir opinião por tudo e por nada.

7. Oriente o seu filho nas decisões mais difíceis. Ele ainda não está suficientemente preparado para planear, estabelecer prioridades, organizar o pensamento, gerir os impulsos e ponderar todas as consequências dos seus actos.

8. Cultive expectativas positivas em relação ao seu filho. Mas seja realista: não tenha expectativas nem demasiado elevadas, nem demasiado baixas.

9. Ajude o seu filho a ser um cidadão consciente e responsável. Desenvolva nele o respeito por todas as pessoas, independentemente da sua raça, estatuto ou religião.

10. Ame incondicionalmente o seu filho, sobretudo quando ele comete erros.

E deixo-vos com uma frase, que uma adolescente, um dia na praia, escreveu na sua T-shirt, e que representa o que qualquer adolescente precisa quando está em crise ou em sofrimento: UM COLO, UM PORTO SEGURO!


“ QUANDO EU NÃO MEREÇO, ME AME, PORQUE É QUANDO EU MAIS PRECISO!”

Sem comentários:

Enviar um comentário

A importância das relações amorosas na nossa vida...

E ntrevista cedida por  Maria de Jesus Candeias  ao   portal de saúde   MSN Saúde & Bem-Estar, Setembro de 2012. 1 - Qual o s...

Publicações mais lidas