segunda-feira, 18 de setembro de 2017

O que é a psicoterapia?

O termo psicoterapia  vem do grego psykhē - psique, alma, mente, e therapeuein - cuidar, curar. 
A primeira referência refere-se às intervenções psicológicas que procuram melhorar os padrões de funcionamento mental do indivíduo e o funcionamento de seus padrões emocionais e relacionais. 
A psicoterapia é uma forma de intervenção terapêutica altamente eficaz enquadrada no âmbito da psicologia clínica que visa proporcionar ao sujeito um melhor entendimento do seu funcionamento mental e a resolução dos seus conflitos internos.  
A Psicoterapia  basea-se no  princípio de que experiências dolorosas e difíceis do passado podem afectar o modo como nos comportamos e nos relacionamos no presente. Explora a clarificação e compreensão dos vínculos entre o passado e presente no aqui e agora da sessão terapêutica. Trata-se de um processo gradual no qual o paciente é convidado a explorar com o terapeuta,  num  ambiente seguro e confidencial, uma série de sentimentos, pensamentos e fantasias de forma a compreender as causas do seu sofrimento mental. Visa a mudança profunda e duradoira da personalidade do sujeito bem como da qualidade das sua relações interpessoais.

Em que é que a psicoterapia o pode ajudar?

Muitas vezes a psicoterapia é o último recurso num longo percurso de tentativas infrutíferas no sentido de nos livrarmos de problemas persistentes ao longo da vida ou durante um longo período de tempo. Problemas esses que muitas vezes interferem significativamente com a nossa qualidade de vida. 
A psicoterapia é actualmente um tratamento eficaz para uma série de transtornos psicológicos, quer como um tratamento de direito próprio  quer como terapia coadjuvante a outras formas de tratamento, como por exemplo as terapêuticas medicamentosas. 
A Psicoterapia pode contribuir significativamente para a saúde física e mental dos pacientes, para uma sensação de bem-estar e para a gestão mais eficaz das suas vidas. 
Por vezes as pessoas procuram ajuda por razões específicas, tais como transtornos alimentares, condições psico-somáticas, comportamentos obsessivos, ou um determinado tipo fobia. Em outras ocasiões, devido a um sentimento geral de depressão ou ansiedade, dificuldades de concentração, insatisfação com trabalho ou incapacidade de estabelecer relacionamentos satisfatórios. 
A psicoterapia foca todas as expressões de sofrimento ou confusão emocional e mental. De um modo geral a psicoterapia visa o alívio do sofrimento enraizado na psicologia pessoal. 

Algumas áreas gerais de foco clínico da psicoterapia incluem:

Problemas  ao nível da relação da própria pessoa consigo mesma;
Problemas ao nível das relações amorosas, familiares, profissionais ou outras;
Problemas psicológicos associados com lutos, depressão e ansiedade; 
Problemas de expressão comportamental e somática.

Para além do alívio do sofrimento e sintomas, a psicoterapia é também um processo de desenvolvimento pessoal que abrange um vasto leque de capacidades e recursos específicos da personalidade, tais como:

Autoconhecimento;
Expansão da mente e da capacidade de pensar;
Desenvolvimento e expansão das funções mentais;
Desenvolvimento da personalidade e da identidade
Capacidade de estar só;
Autonomia;
Identidade;
Aumento da capacidade empática;
Aumento da capacidade de amar;
Capacidade de construir relações mais genuínas, profundas, íntimas e gratificantes
Serenidade;
Maturidade;
Aumento da capacidade de trabalhar;
Criatividade;
Autorrealização;

 Qual a duração de uma psicoterapia ?

A psicoterapia  não é um processo de resultados imediatos mas sim graduais sendo adaptada  à medida de cada um. 
Assim a sua duração  dependerá de pessoa para pessoa.  A sua frequência pode ser de 1 a 3 vezes por semana e as consultas duram habitualmente entre 45-50 minutos.
Ao longo das sessões e da evolução da psicoterapia o paciente começa a  experienciar novas situações, novas emoções, novas facetas de si mesmo,  novas formas de comportamento, novas posturas em relação a si mesmo e aos demais, bem como novas capacidades e competências, emocionais e relacionais.
Progressivamente, o paciente vai desenvolvendo um aumento da sua autoeficácia, ou seja, desenvolve uma maior convicção de ser capaz de lidar com os problemas que o fazem sofrer, o que o leva, consequentemente  a um aumento da sua autoestima; a uma maior compreensão dos problemas que o afligem e da sua própria história de vida, que conduziu a esse mesmo sofrimento. 
Essa compreensão, permite-lhe um aumento do seu bem-estar; o desaparecimento dos sintomas e a modificação dos seus padrões de funcionamento emocional e relacional, em suma, a modificação da sua estrutura de personalidade. 

Os estudos demonstram que a psicoterapia é indicada e eficaz tanto em  adultos como em crianças e adolescentes !
Ela pode ajudar as crianças que têm dificuldades emocionais e comportamentais que são evidentes em casa ou na escola. Estas podem incluir problemas de personalidade, depressão, dificuldades de aprendizagem, fobias escolares, problemas alimentares ou do sono. É igualmente uma terapia adequada para resolver as crises depressivas, ansiosas, relacionais e escolares que ocorrem durante a adolescência.
Marque uma primeira consulta de avaliação da sua situação particular e perceba qual é o seu problema e a intervenção mais adequada para si!

Por Dra. Maria de Jesus Candeias, Psicóloga Clínica e Psicoterapeuta Especializada, pela Ordem dos Psicólogos Portugueses. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Tristeza ou Depressão?

Artigo publicado in " Saúde Activa", Outubro de 2010, por Maria de Jesus Candeias, Psicoterapeuta A tristeza é uma reacção ...

Publicações mais lidas