quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

O que é a psicoterapia?

O termo psicoterapia (do grego psykhē - psique, alma, mente, e therapeuein - cuidar, curar; primeira referência refere-se às intervenções psicológicas que buscam melhorar os padrões de funcionamento mental do indivíduo e o funcionamento de seus sistemas interpessoais (família, relacionamentos etc.). Como todas as formas de intervenção da psicologia clínica, a Psicoterapia:

• utiliza meios psicológicos para atigir um fim específico (a cura ou diminuição do sofrimento, stress ou incapacidade do paciente, geralmente causado por um transtorno mental),

• baseia-se no corpo teórico da psicologia e

• é praticada por UM ESPECIALISTA EM PSICOCOTERAPIA: O PSICOTERAPEUTA ( que terá por formação de base a Psicologia ou a Psiquiatria, tendo realizado uma formação posterior como Psicoterapeuta)

• Ocorre num determinado contexto formal que pode ser (individual, em casal, com a presença de familiares, em grupo - de acordo com a indicação).

Em linguagem comum, o termo "psicologia" é muitas vezes usado no lugar de "psicoterapia". Em linguagem mais própria, no entanto, "psicologia" refere-se à ciência e "psicoterapia" ao uso clínico do conhecimento obtido por ela. Da mesma forma, costuma haver confusão entre os termos "psicoterapia" e "psicanálise". Enquanto aquela refere-se ao trabalho psicoterapêutico baseado no corpo teórico da psicologia como um todo, psicanálise refere-se ao trabalho baseado nas teorias oriundas do trabalho de Sigmund Freud; "psicoterapia" é, assim, um termo mais abrangente, englobando outras linhas teóricas além da psicanalítica.

O funcionamento da psicoterapia

Uma vez confirmado o efeito positivo da psicoterapia sobre a saúde mental dos pacientes, a pesquisa empírica começou a voltar sua atenção a uma pergunta muito mais difícil de ser respondida: como, com que mecanismos, é que ela funciona?

Fases de mudança do paciente:

O processo terapêutico começa, para o paciente, antes da terapia em si e termina somente muito depois de sua conclusão formal. Podemos dizer que o processo ocorre ao longo de seis fases :

1. Fase "pré-contemplativa" (precontemplation stage): é a fase da despreocupação. O paciente não tem consciência de seu problema e não tem a intenção de modificar o seu comportamento - apesar de as pessoas a sua volta estarem cientes do problema. Nesta fase os pacientes só procuram terapia se obrigados;

2. Fase "contemplativa" (contemplation stage): é a fase da tomada de consciência. O paciente se dá conta dos problemas existentes, mas não sabe ainda como reagir. Ele ainda não está preparado para uma terapia: está ainda pesando os prós e os contras;

3. Fase de preparação (preparation): é a fase da tomada de decisão. O paciente se decide pela terapia - nesta fase o meio social pode desempenhar um papel muito importante;

4. Fase da acção (action): o paciente investe - tempo, dinheiro, esforço - na mudança. É a fase do trabalho terapêutico propriamente dito;

5. Fase da manutenção (maintenance): é a fase imediatamente após o fim da terapia. O paciente investe na manutenção dos resultados obtidos por meio da terapia e introduz as mudanças no seu dia-a-dia;

6. Fase da estabilidade (termination): é a fase da cura. Nesta fase o paciente solucionou o seu problema e o risco de uma recaída não é maior do que o risco de outras pessoa para esse transtorno específico.

Fases da terapia

A terapia em si se desenvolve em quatro fases consecutivas, cada qual com objetivos próprios.

1. Indicação: definição do diagnóstico, decisão com respeito à necessidade de uma terapia e de qual tipo (médica, psicoterapêutica, ambas), aos métodos indicados para o problema em questão, esclarecimento do paciente a respeito da terapia;

2. Promoção de um relacionamento terapêutico e trabalho de clarificação do problema: a estruturação dos papéis (terapeuta e paciente), desenvolvimento de uma expectativa de sucesso, promoção do relacionamento entre paciente e terapeuta, transmissão de um modelo etiológico (origem,causa) do problema;

3. Desenvolvimento do processo psicoterapêutico: visa a mudança, a transformação e o bem-estar do paciente.

4. Avaliação: verificação dos objetivos propostos e alcançados, estabilização dos resultados alcançados, fim formal da terapia e da relação paciente-terapeuta.

As decisões tomadas na fase 1 não devem necessariamente permanecer imutáveis até o fim da terapia. Pelo contrário, o terapeuta deve estar atento a mudanças no paciente, a fim de adaptar seu métodos e suas decisões de trabalho à situação do paciente, que nem sempre é clara no começo da terapia. A isso se dá o nome de indicação adaptável.

Mecanismos de mudança em psicoterapia

Vários autores se dedicaram à questão do funcionamento da psicoterapia: o que é que leva à mudança no paciente. K. Grawe (2005) descreve cinco mecanismos básicos de mudança (comuns a todas as escolas psicoterapêuticas:

1. Relacionamento terapêutico : a qualidade do resultado de uma terapia é em grande parte influenciada pela qualidade do relacionamento entre o terapeuta e o paciente.

2. Activação de recurso (psicologia) :a psicoterapia auxilia o paciente a mobilizar a força interna que ele possui para realizar a mudança necessária e estabilizá-la.

3. Actualização do problema: a psicoterapia expõe o paciente ao seu padrão normal de comportamento, como modo de tornar esses padrões conscientes e assim modificáveis.

4. Esclarecimento motivacional ou Clarificação e transformação de interpretações: a psicoterapia auxilia a clarificação de ambiguidades e obscuridades na experiência pessoal do paciente, ajudando-o a encontrar um sentido para aquilo que ele experiencia.

5. Competência na superação dos problemas : a psicoterapia capacita o paciente a adquirir a capacidade de adaptação à realidade psíquica e social, típico dos transtornos psíquicos.

Efeitos da psicoterapia

Ainda sob um ponto de vista geral, ou seja, comum a todas as escolas psicoterapêuticas, podem se observar os seguintes efeitos NA PSICOTERAPIA:

  • o fortalecimento do relacionamento terapêutico,  
  •  a intensificação da expectativa de sucesso do paciente, 
  •  sensibilização do paciente a factores que ameaçam sua estabilidade psíquica,  
  •  um maior profundo conhecimento de si mesmo (autoexploração) 
  •  a possibilidade de novas experiências pessoais,
  • Ao longo das sessõesos paciente experiencia novas situações, emoções, novas facetas de si,  novas formas de comportamento, 
  • a pessoa adquire novas posturas em relação a si mesma e aos demais,
  • adquire novas capacidades e competências.
  • um aumento da autoeficácia (self-efficacy), ou seja, da convicção do paciente de ser capaz de lidar com os problemas que o faziam sofrer, que leva a um aumento da autoestima.
  • uma compreensão maior dos problemas que afligem o paciente e da história de vida, que conduziu a eles.
  • melhora do bem-estar,
  • modificação dos sintomas e
  • modificação da estrutura da personalidade.
Mudanças na estrutura da personalidade só são possíveis depois de uma melhora do bem-estar e dos sintomas.


Indicação para Psicoterapia

A pricipal indicação para uma psicoterapia é um transtorno mental e ou emocional. Mas não só. Uma psicoterapia pode ser indicada também em situações em que o indivíduo está instisfeito com a própria forma de vida, em que ele precisa tomar decisões difíceis e não sabe como, em situações em que a pessoa não vê sentido naquilo que faz

A psicoterapia é indicada para: depressão, ansiedade, fobias, obsessões, psicoses e problemas de relacionamento em diversas situações (trabalho, sociais, conjugais), hiperactividade, enurese, problemas de comportamento adolescente e infantil entre outros não mencionados aqui.

A psicoterapia é indicada também em situações de doenças com manifestações fisicas (psicossomáticas), tais como : eczemas, asma, problemas intestinais de origem nervosa, dores no corpo generalizadas, fibromialgia, etc.

Os estudos demonstram que a psicoterapia é eficaz e está indicada tanto em crianças como em adolescentes e adultos!

Marque uma primeira consulta de avaliação da sua situação particular e perceba qual é o seu problema e a intervenção mais adequada para si!



Sem comentários:

Enviar um comentário