domingo, 10 de maio de 2009

Perturbação Bipolar


A Perturbação Bipolar (tradicionalmente designada por Perturbação Maníaco-Depressiva) caracteriza-se por oscilações recorrentes entre estados de euforia (mania) e depressão, ou seja, implica uma variação marcada em termos de humor, intercalando com períodos mais estáveis.

Estas oscilações repentinas e, como tal, inesperadas, apresentam uma forte repercussão ao nível das emoções, ideias e comportamentos da pessoa, influenciando em larga escala o seu bem-estar físico e psíquico, bem como dos familiares mais próximos.

Tipicamente, os sintomas começam durante a adolescência, ou numa primeira fase da vida adulta, e continuam a ocorrer periodicamente ao longo da vida.

A Perturbação Bipolar é altamente lesiva e incapacitante para o indivíduo e afectam-no quer a nível social, quer a nível físico e psicológico.

As consequências desta doença podem ser devastadoras e podem conduzir ao divórcio, desemprego, alcoolismo e abuso de drogas.

Estima-se que esta doença afecte actualmente entre 1,3 e 1,6% da população mundial, sem diferenças significativas entre homens e mulheres, sendo muito importante a realização de um diagnóstico precoce, sendo que o papel do paciente é muito importante neste processo, pois, por vezes, há uma certa resistência em procurar ajuda, o que conduz ao agravamento dos sintomas.

A perturbação bipolar é geralmente agravada pela ingestão de álcool ou abuso de substâncias.

Sem tratamento eficaz, a doença bipolar conduz ao suicídio em quase 20% dos casos.

Estima-se que entre 25% a 50% dos doentes com perturbação bipolar tentam o suicídio, sendo que em 10% a 20% as tentativas são bem sucedidas. Esta é uma das taxas mais elevadas no âmbito das perturbações do foro psiquiátrico

Sintomas e Diagnóstico

A perturbação bipolar envolve ciclos de mania e depressão. Estes dois estados de humor podem ser considerados como os extremos opostos de um intervalo.


Num dos extremos encontra-se a depressão grave; depois a depressão moderada; perturbações de humor ligeiras e breves (que muitas pessoas designam por "melancolia"); humor normal; hipomania e mania.

Algumas pessoas com perturbação bipolar não tratada apresentam episódios de depressão repetidos e apenas um episódio ocasional de hipomania (bipolar tipo II).

No outro extremo, a mania pode ser o problema principal e a depressão pode ocorrer apenas ocasionalmente.
O reconhecimento dos diferentes estados do humor é essencial para que a pessoa com perturbação bipolar possa obter um tratamento eficaz e evitar as consequências negativas da doença (destruição das relações pessoais, perda de emprego e suicídio).


  • Entre os sinais e sintomas de mania incluem-se períodos de:
    Sentimentos excessivamente "elevados" ou eufóricos
    Energia aumentada, actividade, agitação, pensamentos rápidos e verborreia
    Auto-estima exageradamente aumentada
    Irritabilidade extrema e dificuldade de atenção
    Necessidade reduzida de sono
    Crença não realista nas suas capacidades e poderes
    Capacidade de julgamento incaracteristicamente pobre
    Período consistente de comportamento diferente do habitual
    Aumento do estímulo sexual
    Abuso de drogas, particularmente cocaína, álcool e medicamentos para dormir (benzodiazepinas) Comportamento provocante, inoportuno, ou agressivo
    Negação de que alguma coisa esteja errada
  • Entre os sinais e sintomas de depressão incluem-se períodos de:
    Tristeza, ansiedade ou humor muito diminuído de forma persistente
    Sentimento de desespero ou pessimismo
    Sentimentos de culpa inapropriada, demérito, ou abandono
    Perda de interesse ou prazer em actividades quotidianas, incluindo sexo
    Perda de energia, sentimento de fadiga ou de estar a 'abrandar'
    Dificuldade de pensamento, concentração, memória ou tomar decisões
    Inquietação ou irritabilidade
    Dificuldades em dormir, ou dormir excessivamente
    Perda de apetite e peso, ou ganho de peso
    Pensamentos repetidos de morte ou suicídio; tentativas de suicídio
Um episódio inicial da doença pode ser hipomania, na qual a pessoa demonstra um alto nível de energia, humor excessivo ou irritabilidade e comportamento impulsivo ou imprudente.
A hipomania pode constituir um aspecto positivo para a pessoa que a apresenta, de modo que são a família e os amigos que aprendem a reconhecer as oscilações do humor, pois o indivíduo nega muitas vezes que alguma coisa esteja errada.
Nos seus estádios iniciais, a perturbação bipolar pode surgir como um problema diverso de outras doenças mentais. Por exemplo, pode aparecer primeiro como abuso de drogas ou de álcool, ou mau desempenho escolar ou profissional.
Se não for tratada, a perturbação bipolar tende a agravar e a pessoa apresenta episódios de mania e depressão clínicas francas.
A depressão e a mania graves podem ser acompanhadas por períodos de psicose. Os sintomas psicóticos incluem:
  • Alucinações (cheirar, observar, ou sentir coisas que de facto não existem)
  • Delírios (falsas crenças baseadas no ilógico, apesar da existência de evidências em contrário).
Os sintomas da mania e da depressão podem estar presentes ao mesmo tempo (estado misto). Os sintomas incluem frequentemente agitação, problemas de sono, uma alteração significativa no apetite, psicose e ideias suicidas.
Um humor deprimido acompanha a activação da mania. Os sintomas (mania, depressão, ou estado misto) estão muitas vezes limitados a diferentes episódios da doença.
Estes episódios estão separados por períodos durante os quais a pessoa apresenta sintomas reduzidos ou mesmo ausentes.
Alguns episódios podem durar 1 ano enquanto que outros podem demorar tão pouco como algumas horas, dependendo do doente.
Com o tempo, os episódios tornam-se mais frequentes. Quando ocorrem quatro ou mais episódios num período de 12 meses, diz-se que a pessoa tem perturbação bipolar com ciclos rápidos. Na maioria dos doentes, o número de episódios que ocorrem ao longo da vida é aproximadamente de 8 a 10, mas em muitos casos este número é superior. Na perturbação bipolar com ciclos rápidos, podem surgir 4 ou mais episódios anualmente.
Quais as causas da perturbação bipolar?
Os doentes com perturbação bipolar aparentam falta de estabilidade na transmissão dos impulsos nervosos ao cérebro, tornando-se, por isso, mais vulneráveis ao stress emocional e psíquico.
Além do mais, experiências e vivências com stress e doenças do foro psíquico podem conduzir à perturbação bipolar, sendo que algumas pessoas consideram que certos eventos ou situações podem culminar numa situação de doença bipolar.
Os estudos sobre a doença parecem inclinar-se também para a possibilidade de existir uma componente genética na ocorrência da perturbação bipolar: um estudo revela que 13% das pessoas com perturbação podem tornar-se bipolares.
Que tipo de tratamento é o indicado para esta doença?

A maioria das pessoas com perturbação bipolar podem ser ajudadas com tratamento.
Quase todas as pessoas (mesmo aquelas com as formas mais graves da doença) podem conseguir a estabilização das suas oscilações do humor, e viver de forma tranquila, com uma qualidade de vida satisfatória.
Uma vez que a perturbação bipolar é geralmente uma doença crónica e os sintomas recidivam muitas vezes, é altamente recomendado o tratamento profiláctico a longo-prazo.
Assim, nestes casos é aconselhada uma terapêutica combinada entre uma
terapia farmacológica (medicamentos estabilizadores de humor, antidepressivos e neurolépticos) aliada à Psicoterapia.

A Psicoterapia torna-se indispensável para o sucesso do tratamento, para que a pessoa se sinta o mais confortável possível e aprenda novas estratégias de actuação em situações de crise.
Não deixe que a depressão tome conta da sua vida! Vale a pena viver! Acredite que existe solução para o seu problema.
Peça ajuda especializada!
Cuide de si!
Contacte-me!

2 comentários:

  1. eu tenho muita alteracao de humor e me encaixo em muitos sintomas, nao em todos mas acho que alguma coisa acontece comigo, nao sinto estabilidade emocional, sera que me enquadro em uma bipolar?

    ResponderEliminar
  2. Abuso do álcool e tomo antidepressivos nunca estou bem comigo mesma.

    ResponderEliminar